I love my followers!

terça-feira, 23 de agosto de 2016

10 Filmes que Valem à Pena Assistir



1. A Pele que Habito - Pedro Almodóvar- Espanha, 2011

 
Roberto Ledgard (Antonio Banderas) é um conceituado cirurgião plástico que, após perder a mulher e a filha, começa a trabalhar fundo em sua pesquisa sobre pele artificial, repudiada pela comunidade científica. 
A trama gira em torno da misteriosa Vera (Elena Anaya), mulher aprisionada em um dos cômodos da casa de Robert, e objeto de obsessão, que serve de cobaia para suas experiência. 
Thriller tenso, forte e diferente de tudo que já tinha visto.


2. Incêndios - Denis Villenueve - Canadá, 2010


Dividido em capítulos, o filme conta a história dos gêmeos Jeanne e Simon Marwar (Mélissa Désourmeaux-Poulin e Maxim Gaudette) que, após a morte da mãe, recebem uma carta testamento dizendo  que tem um irmão e que seu pai pode estar vivo. 
A partir daí, começa uma jornada pelo passado misterioso de sua mãe Nawal Marwan (Lubna Azabal), que os leva ao Líbano.
Incêndios é um filme brilhante, doloroso, cheio de revelações e com um final surpreendente.

 3.  Beast of The Nation - Cary Joji Fukonaga - EUA, 2015



O protagonista do filme é o pequeno Agu (Abraham Atta), que vê toda sua vida dizimada pela guerra civil africana. Agu consegue fugir, mas é capturado pelo Comandante Thor (Idris Elba), personagem carismático,assustador e abusivo, que lidera um exército de crianças-soldado.
Uma história forte e tocante, que mostra a realidade de muitas crianças africanas que são levadas a brutalidade por falta de alternativa.

4.  Winter in Wartime - Martin Koolhoven - Holanda, 2008



O filme trata da fase final da 2ª guerra na Holanda e conta as aventuras de Michiel (Martijn Makemeier) , um garoto de 13 anos que faz de tudo para sobreviver a invasão alemã, a perda de sua inocência e a descoberta que em uma guerra é difícil reconhecer mocinhos e vilões.
Envolvente, sensível e emocionante. 

5.  O Quarto de Jack - Lenny Abrahamson - Canadá/Irlanda, 2015


O longa é um suspense dramático que gira em torno de Jack (Jacob Tremblay) e Ma (Brie Larson), mãe e filho que, devido a circunstâncias, criam seu próprio universo particular. A atuação de Jacob Tremblay é incrìvel e faz com que o espectador se envolva completamente com a trama.
Uma história de resiliência e amor incondicional que vale ser conferida.

6.  Um Conto Chinês - Sebastian Borensztein - Espanha/Argentina, 2011


Comédia dramática que traz Ricardo Darín como Roberto, ranzinza dono de uma loja de ferragens que tem uma vida monótona e previsível até que o chinês Jun (Ignácio Huang) aparece de repente na sua vida. Roberto decide ajudar o desamparado chinês e o fato de Jun não falar espanhol nem Roberto Chinês, cria várias situações inusitadas e acaba criando um forte vínculo de solidariedade e amizade entre as personagens.
Assistam essa deliciosa comédia argentina.

7. O Orfanato -  Juan Antonio Bayona - México/Espanha, 2007



Pode uma história de terror/suspense ser cheia de emoção? Pode sim! E é isso que o filme nos trás.
Nessa história, Laura (Belén Rueda) assume o antigo orfanato onde foi criada e decide construir um lar para crianças com necessidades especiais junto com seu noivo e seu filho adotado. 
Os problemas começam quando Simon (Roger Príncep) arruma amiguinhos imaginários e desaparece. a medida que a trama vai se desenrolando, vários mistérios aparecem.
O Orfanato é mais um surpreendente presente do cinema espanhol.

8.  Truman - Cesc Gay - Espanha/Argentina, 2014


Julián (Ricardo Darín) está com uma doença terminal e se preocupa com quem deixar seu cachorro.
Tomás (Javier Cámara), um velho amigo de Julián, vive no Canadá, mas decide passar uma semana A cada momento os dois vão revivendo e fortalecendo a antiga amizade, que está com seus dias contados.
Truman é um filme carregado de emoção, sem ser piegas, que fala muito mais do que a história de homem que vai morrer e seu cachorro.

9.  A Onda - Dennis Gansel - Alemanha, 2008


A trama conta a história de Rainer Weiger (Jorgen Vogen) , professor do ensino médio, que decide fazer uma experiência com seus alunos  baseada em alguns clichês do nazismo. Ao perceber que a experiência ficou fora de controle, o professor tenta finalizá-la, mas já era tarde demais.

10.  Ex Machina - Alex Garland - Inglaterra, 2015


Caleb (Domhnall Gleeson) é um jovem programador de computadores que ganha um concurso e vai passar um final de semana na casa do presidente da empresa, Nathan Bateman (Oscar Isaac). chegando lá, Caleb descobre que foi selecionado para o Teste de Turing em Ava (Alicia Vikander), uma bela robô com inteligência artificial.
Ex-machina é um drama sci-fi interessante, feito para quem gosta de refletir.

* Teste de Turing é um experimento utilizado para saber se uma máquina substituir/imitar com sucesso o ser humano.




" O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonhos."

                                                                                                         Orson Welles


Fazer o quê?

E vim eu, toda empolgada para escrever no blog depois de tanto tempo. Planejei escrever sobre filmes, preparei 10  pequenas resenhas (sem spoilers), selecionei os posters, escolhi a fonte e quando estava no 9º filme, apertei o botão errado e apaguei tudo... Fiquei tão triste, mas fazer o quê, né? Qualquer dia entro e refaço tudo!


terça-feira, 30 de dezembro de 2014

FELIZ 2015!!!

Receita de Ano Novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)
Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.
Carlos Drummond de Andrade )
(Discurso de primavera e algumas sombras. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1979, p. 115)


Que 2015 venha cheio de boas surpresas para todos nós!!!
Bjoks

domingo, 6 de julho de 2014

Quibe Vegetariano





Quibe Vegetariano

Ingredientes:

250g de trigo para quibe
2 cenouras raladas finas
1 xícara de hortelã picada
1 cebola média cortada em pequenos cubinhos
1 inhame pequeno
4 colheres (sopa) de shoyu

Preparo:

Coloque o trigo em uma bacia com água quente, para hidratar, por 1 hora.
Coloque o trigo em um pano de prato e esprema até tirar a água.
Cozinhe o inhame com água e sal.
Misture o trigo, o inhame cozido, a hortelã, a cenoura, a cebola e o shoyu.
Tempere a gosto.
Faça bolinhas e coloque em um tabuleiro untado com azeite.
Asse em forno 220cº por aproximadamente 30 minutos.

*     *     *     *

É fácil, rápido e fica uma delícia! Recomendo!


sábado, 21 de junho de 2014

Dica de Leitura: Por um Fio - Dráuzio Varella




São histórias reais de pacientes que receberam o diagnóstico de câncer, seu comportamento e de suas famílias, a convivência com a doença e a eminente perspectiva da morte. Dráuzio Varella narra sua experiência como um dos primeiros médicos a cuidar de pacientes com câncer em uma época que evitava-se até mesmo mencionar o nome da doença, em que os pacientes terminais eram simplesmente mandados embora para casa porque nada mais poderia ser feito.
 Não há como ler os contos e não se colocar na vida dos pacientes/personagens, se emocionando e sentindo junto com eles.
Li em um dia e adorei! Uma verdadeira reflexão sobre a vida.


*      *      *

" Imaginar a morte como um fardo prestes a desabar sobre o nosso destino é insuportável. Conviver com a impressão de que ela nos espreita é tão angustiante que organizamos a rotina como se fôssemos imortais, e, ainda, criamos teorias fantásticas para nos convencer de que a vida é eterna."

                                                                                  Por um Fio - Dráuzio Varella





OBS: Não sei porque, mas o texto que escrevi está aparecendo com um fundo branco. Peço desculpas, mas não sei como corrigir isso

sexta-feira, 7 de março de 2014

Manifesto dos 40 anos

Sabe como a gente descobre que uma pessoa está fazendo 40 anos? Pelo sorriso. Não é o sorriso explosivo dos primeiros 15 aniversários. Ou o sorriso comportado que acompanha a data até mais ou menos os 30 anos. Ou o sorriso preocupado das comemorações seguintes. O sorriso de quem faz 40 anos não é bem um sorriso. É um troço congelado no rosto, dois lábios que se alongam sem querer exatamente sorrir.

É mais ou menos nesta época que a gente se dá conta de duas coisas:

Nosso corpo não é mais o mesmo. Ele vai se desfazendo, como um sorvete sob o sol. Aparece uma barriga que a gente não sabe de onde veio, e que não pretende ir a lugar algum.
Nosso rosto não é mais o mesmo. Às vezes diante do espelho eu vejo uma mulher de 40 anos, e tenho que me lembrar de que ela sou eu.

Tem algo mais que acontece quando se faz 40. É a noção de que se não formos atropelados por um carro ou por um câncer estamos chegando na meiuca da vida. Em algum momento próximo a ampulheta vai começar a ter mais areia embaixo do que em cima, e isso muda tudo. Dá vontade de correr na direção contrária da escada rolante. Fazer as coisas que a gente tinha deixado pra depois, porque o depois chegou.
No meu caso eu voltei a escrever. Aprendi a fazer peru de Natal. Comecei a meditar. E pra manter a forma arranjei um professor de ginástica de Kosovo. Aquele homem grita MOOVING no meu ouvido como se estivesse na guerra, e eu corro pra qualquer lado com medo de perder o bonde pro campo de refugiados.
Mas existe uma coisa que vai além de todas essas. É algo que eu sempre quis responder, mas estava ocupada demais sendo jovem, onipotente e supostamente imortal: como é que a gente faz pra ser uma pessoa mais legal do que aquela de 20 e 30 anos?
Se eu pudesse encontrar a mulher que fui no passado seria pra encher a bunda de palmada. No processo de me tornar adulta eu machuquei muita gente. Tenho amigos que não ouvi, colegas que magoei. Ex-namorados que até hoje correm de mim, sabe-se lá se eu carrego alguma faca. O leite já foi derramado, e não adianta chorar. A boa notícia é que sobrou metade no copinho.
E é isso o que passou a importar pra mim aos 40 – como é que eu faço pra não derramar a metade do leite que sobrou no corpinho? Como é que a gente faz pra ser uma pessoa melhor?
Não é só fazer ioga e dar bom dia pro porteiro, porque dar bom dia pro porteiro é fácil. O difícil é não discutir com a mãe. Ter paciência com os filhos. Não brigar com o marido. Deixar de falar mal do chefe, deixar de falar mal de seja lá quem for, mesmo que a pessoa mereça muuuuito. Não deixar os pinguinhos de xixi na tampa do vaso do restaurante. Não xingar o cara que te cortou no trânsito. Difícil (isso é praticamente impossível) é tratar bem a operadora de telemarketing, e a infeliz da vendedora que recebeu o carma de te seguir pela loja.
São estas as minhas prioridades a partir dos 40. Se eu consigo fazer alguma delas fico um pouco mais em paz, e é isso que a gente começa a buscar quando fica mais velho: a gente quer um pouco mais de paz.
Quando essa paz aparece o sorriso de uma pessoa de 40 anos deixa de ser congelado pra se tornar sincero. Não é de todo ruim, pensamos, e os lábios se abrem um pouco mais. A gente só tem que tomar cuidado pra não apertar os olhos enquanto ri, que é pra não despertar as ruguinhas dos lados.

Martha M. Batalha

domingo, 29 de dezembro de 2013

Que Venha 2014!



"Ano velho que se vai
Parta em paz
E leve contigo
Meus pesos desnecessários
Ano novo que está 
Em trabalho de parto
Nasça belo e claro
E ilumine meus passos"

Lou Witt



*     *     *

Desejo que em 2014 todos tenham muita paz, saúde e fé. Que você jamais desista de seus sonhos, não perca sua determinação, sua capacidade de lutar pelo que quer e nunca desanime diante de obstáculos. Enfim, que esse novo ano seja o ano de sua vida!
Obrigada pela amizade, pelo carinho e pela companhia!
E que venha 2014!!!